Assessoria Técnica em 4 territórios da Bacia do Rio Doce será pela AEDAS

Após muita luta e manifestações, os atingidos pelo crime da Samarco/Vale/BHP, com o rompimento da Barragem de Fundão, têm garantido direito a Assessorias Técnicas Independentes em toda a bacia, que deve ser escolhida pelos próprios moradores.



No estado de Minas Gerais, os municípios atingidos foram organizados em oito diferentes territórios, a partir do trabalho do Fundo Brasil de Direitos Humanos. Em quatro deles, grande maioria da população fez a escolha pela Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social-AEDAS pra a execução da Assessoria.


A primeira delas foi realizada no dia 25 de novembro, em uma assembleia com cerca de 200 atingidos e atingidas da cidade de Conselheiro Pena. Eles aprovaram a proposta da AEDAS pela confiança e pelo resultado de apresentação do Movimento dos Atingidos por Barragens-MAB, que atua nessa região desde o rompimento da Barragem de Fundão em 5 de novembro de 2015.


No dia 27 de novembro foi a vez do território que envolve as cidades de Itueta e Resplendor fazer a escolha pela AEDAS como sua Assessoria Técnica Independente. A assembleia teve cerca de 150 moradores, que além de sofrerem diversos danos como na fonte de renda e trabalho, estão também com problema de abastecimento da água, pois desde o crime até os dias de hoje os dois municípios são abastecidos por caminhão pipa.


A AEDAS chega aos municípios com o desafio de discutir os temas relacionados à lama da Samarco, mas também considerando os impactos que a Barragem de Aimorés gerou naquela região e que ao longo dos anos foram tornando uma espécie de cascata de problemas, que ficaram ainda piores com o rompimento da Barragem de Fundão.


No dia 30 de novembro o território de Aimorés escolhe a entidade por aclamação, com a presença de mais de 100 atingidos. Estiveram presentes pescadores profissionais e amadores, carroceiros, agricultores rurais, areeiros, pedreiros entre outras categorias que foram mobilizadas pela Comissão dos atingidos da cidade. Segundo afirmação do Fundo Brasil na Assembleia, já a partir de janeiro de 2019 será possível iniciar os trabalhos.


No território, a AEDAS vai acompanhar comunidades e distritos atingidos em 11 municípios: Ipatinga, Belo Oriente, Ipaba, Naque, Periquito, Sobralia, Iapu, Fernandes Tourinho, Bugre, Caratinga e Santana do Paraíso.


Os atingidos e atingidas acreditam na proposta da AEDAS, que é exemplo para a Bacia do Rio Doce desde agosto de 2017, quando começou a fazer a Assessoria Técnica da cidade de Barra Longa. Hoje, a metodologia de trabalho e as conquistas dos atingidos já são modelo para muitas outras cidades.


Estão ainda para serem realizadas as escolhas nos quatro territórios restantes: Governador Valadares, Rio Casca e São José do Goiabal, ambos no Alto Rio Doce, e o Parque do Rio Doce.

AEDAS - Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social

© 2017 -  Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social

Rua Frei Caneca, 139, Bonfim - Belo Horizonte / MG - CEP: 31.210-530