Graduação em Saúde Coletiva/UFRJ organiza roda de conversa sobre 2 anos do rompimento em Brumadinho

O que é ser uma pessoa atingida pelo rompimento de barragens? O que é ser uma pessoa atingida dois anos depois do rompimento? Questões como essas estarão em debate em uma roda de conversa promovida pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A atividade será promovida virtualmente pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva/UFRJ. O diálogo acontece no dia 26 de janeiro, terça-feira, das 13h30 às 15h30, um dia depois do desastre de Brumadinho completar dois anos.


Aqui está o link para acessar: https://www.youtube.com/watch?v=yGtYagel8Jg&feature=youtu.be


As Matrizes de Medidas Emergenciais Reparatórias


Durante meses de 2020, a Aedas ouviu os/as atingidos/as em uma série de espaços participativos. Nesses diálogos, reuniu as propostas, consideradas emergenciais pela população, para reparação imediata. Tratam-se de danos que não podem esperar para serem mitigados.


A sistematização dessas propostas resultou na Matriz de Medidas Emergenciais Reparatórias de cada uma das duas regiões. Ao todo, os documentos reúnem mais de 200 medidas formuladas pela população atingida. Como consta no documento, um desastre dessa dimensão acarreta impactos e riscos indiretos e imediatos à saúde da população exposta, que causam danos graves à saúde física e mental da população.


Para saber mais, acesse a íntegra dos documentos que estão disponíveis no site da Aedas.


Os territórios atingidos dois anos depois


Dois anos depois do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, que ocorreu no dia 25 de janeiro de 2019, a desestruturação da vida e dos territórios dos/as moradores/as da Bacia do Paraopeba ainda é uma realidade que penaliza milhares de pessoas. São danos de variadas ordens: econômicas, culturais, psicológicas e físicas, para citar apenas alguns exemplos.


São dois anos de luto pelas 272 pessoas mortas pelo desastre sociotecnológico, angústia pelas vítimas ainda não encontradas e indignação com as injustiças que marcam o processo de luta pela reparação integral dos danos.





170 visualizações
  • WhatsApp Aedas
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram