AEDAS realiza seminário para escutar as famílias que tiveram que sair de suas casas devido ao PAEBM

Casa, lar, refugio, meu canto. Todo mundo tem um para chamar de seu, não é? Infelizmente não. Todos e todas tem direito á moradia, mas isso nem sempre é garantido. Algumas famílias atingidas pelo acionamento do Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração tiveram que sair de suas casas e hoje não podem acessar sua casa, seu lar, seu refúgio, seu canto. Isso porque suas casas estão em área de risco.



Para escutar e entender como se sentem e quais os danos causados as famílias que tiveram que sair de suas casas devido ao acionamento do Plano foi realizado o V Seminário Temático: Direito á Moradia, pela Assessoria Técnica da AEDAS em Itatiaiuçu. A escuta das famílias contribuirá para a construção do Plano de Reparação Integral.


Maria da Conceição Costa Ribeiro, atingida de Itatiaiuçu afirmou que os seminários ajudam a entender os direitos: “em relação aos seminários que a gente tem assistido é muito bom porque a gente vem aprendendo, aprendendo muitas coisas que a gente não sabia, sobre nossos direitos”. A atingida ainda desabafou sobre ter que sair de sua casa e ir morar de aluguel: “acho que a agonia que a gente tá é para resolver, temos vontade de voltar as atividades da gente, voltar para a moradia, pra gente dá continuação a vida, porque a vida está parada, estamos de aluguel como se fosse de favor. A gente sente como se morasse de favor. Na casa da gente temos espaço para pensar, refletir, tudo que você deseja está ali para você trabalhar em cima daquilo, e em casa alugada você não tem essa intimidade, essa vontade fazer nada”, finalizou Maria.



A Atingida acredita que os seminários e os grupos de base que participa têm ajudado a passar pelo processo de ser atingida e ter paciência para esperar a reparação integral. “A gente está no seminário e nos grupos e estamos aprendendo e tendo mais paciência para esperar. Porque o que resta é caminhar junto e ter paciência para esperar pra nós vermos o resultado”, concluiu Maria da Conceição.


Seu José da Cruz, de Lagoa das Flores, concorda com Maria da Conceição. Para seu José os seminários são uma forma de promover troca e conhecimento entre atingidos e atingidas. “Pra mim está sendo valioso, estas coisas que estão acontecendo com a gente, não tínhamos experiência com nada e através do seminário que está tendo, com a AEDAS, está fazendo uma coisa muito boa pra gente, estamos aprendendo, estamos nos informando”, explicou.



Com o acionamento do PAEBM, no dia 8 de fevereiro, 135 núcleos familiares foram deslocados de suas casas pelo menos uma vez. E segundo informações dos materiais digitais disponibilizados pela ArcelorMittal, 223 terrenos estão na área de risco ou próximo.


A AEDAS em Itatiaiuçu já realizou 5 seminários Temáticos até o momento: Caseiras e Caseiros, Sitiantes, Comerciantes, Mulheres e Crianças e Direito á Moradia. Ainda em 2019 serão realizados mais três seminários temáticos: Produtores (as) Rurais, Jovens e Idosos e Saúde.



AEDAS - Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social

© 2017 -  Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social

Rua Frei Caneca, 139, Bonfim - Belo Horizonte / MG - CEP: 31.210-530